Pages

Subscribe Twitter

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Bolo de Laranja com Gotas de Chocolate


Olá!

Essa é mais uma das delícias que aprendi com a minha mãe. Infelizmente, ainda não tirei nenhuma foto decente desse bolo. (Deve ser pq é tão bom que o bolo acaba antes de eu pensar em tirar foto... hehehehe) Por isso tive que usar essa imagem ilustrativa (do Google) que não mostra tão bem como fica esta maravilha. Mas dá para ir tendo uma ideia ;)

Além de ser muito gostoso, a melhor parte é que ele é muito fácil de fazer e sempre dá certo. E olha que eu tenho a mão ruim para bolo. Mas esse aqui, não tem erro. Pode acreditar!

Ingredientes:
- 2 ovos
- 3/4 copo óleo
- 1 laranja inteira (com casca, sem semente - cortada em quatro)
- 1 e 1/2 de açúcar
- 2 copos de trigo
- 1 colher de sopa de fermento

Modo de Fazer:
- Bater no liquidificador os ovos, óleo e laranja (até triturar bem a laranja);
- Acrescentar o açucar e continuar batendo;
- Acrescentar o trigo  e continuar batendo;
- Em um outro recipiente, colocar a massa e misturar o fermento com uma colher;
- Acrescentar 1 copo de gotas de chocolate ou raspas de chocolate e misturar com a colher;
- Colocar em uma forma untada e pôr para assar no forno pré-aquecido (temperatura média-baixa).
- O tempo eu não sei exatamente, mas geralmente é no mínimo 30 minutos.

Dica: Para as gotas de chocolate não descerem todas para o fundo da forma é legar passá-las na farinha. É pouca farinha. Somente o suficiente para deixar as gotas meio esbranquiçadas. Para tirar o excesso de farinha nas gotas uma boa dica é colocá-las em uma peneira.

Ah!!!! Vc pode fazer uma cobertura de chocolate derretido (ao leite ou meio amargo) ou akele mingau de suco de laranja. Eu prefiro o mingau. É só vc ferver um copo de suco de laranja e engrossá-lo com maizena. Se achar necessário pode adoçar um pouco. Daí vc joga em cima do bolo e quando ele esfriar fica tipo uma gelatina. MUITO bom!

A delícia dessa receita é o contraste entre o leve amarguinho/azedinho da massa (casca da laranja) e o docinho das gotas de chocolate. Hummmm. #adoro!

Outra dica: Ao invés de fazer na forma padrão de uma receita de bolo (retangular, redonda, redonda com furo), fica bem legal fazer naquelas forminhas de moffys ou cupcakes (foto). Fica bem bonitinho e dá até para dar de presente ou dar para a criançada levar de lanchinho na escola ;)

Por hoje é só. Grande abraço e até a próxima!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Óleo de coco: para emagrecer, não funciona


Olá queridos!

Compartilho com vocês uma matéria que saiu na Veja alertando sobre os equívocos de uma das dietas da moda: óleo de coco para emagrecer. A principal questão levantada é que nada - nem benefícios ou prejuízos - foi provado em relação ao óleo. Ou seja, não tem jeito, para emagrecer o melhor "remédio" continua sendo comer menos e caprichar nos exercícios aeróbicos ;)

Óleo de coco: para emagrecer, não passa de bobagem
Na forma líquida ou na de pílula, cada vez mais pessoas usam suplementos na tentativa de perder peso. Com esse objetivo, só estão perdendo dinheiro

O óleo de coco, seja na forma líquida ou na de pílula, é o emagrecedor da moda. Na forma de pílula, é ingerido duas vezes ao dia. Líquido, também pode ser ingerido ou usado no preparo de alimentos. Na Mundo Verde, uma rede de 205 lojas de produtos naturais espalhadas pelo Brasil, as vendas aumentaram 500% nos últimos 4 meses, mais do que qualquer outro produto. O frenesi não deve continuar por muito tempo. Vários alimentos, bebidas, sementes e produtos naturais caíram no esquecimento pela ausência de estudos científicos e resultados práticos que comprovassem sua eficácia. O caminho dessa nova moda parece ser o mesmo.

O primeiro motivo é que nada - benefícios ou prejuízos - foi provado em relação ao óleo, o que basta para impedir que médicos responsáveis recomendem a substância como emagrecedor. Segundo Gláucia Carneiro, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e do ambulatório de obesidade da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), as evidências científicas são insuficientes para que as pessoas contem com o óleo de coco para emagrecer.


Não há mal nenhum em usá-lo, em sua forma líquida, como substituto do óleo de origem animal ou mesmo do óleo de soja na preparação de alimentos. Ele faz parte do grupo de gorduras vegetais, mais saudável do que as animais. No entanto, é rico em gorduras saturadas. O azeite de oliva, por exemplo, tem gorduras insaturadas. Para cozinhar, tudo bem. Para emagrecer, fora de questão.

Sem comprovação - As pesquisas que encontraram tanto benefícios como malefícios no alimento não foram capazes de explicar o mecanismo envolvido. Há quem atribua ao óleo de coco a condição de um termogênico, ou seja, algo capaz de aumentar a queima de calorias no corpo. Substâncias termogênicas estão presentes no café ou no chá verde, por exemplo, mas também podem ser encontradas em suplementos alimentares. Mas, de novo, nada foi comprovado.

Pesquisadores brasileiros da Universidade de Alagoas, em Maceió, publicaram no periódicoLipids, em 2009, um estudo sobre óleo de coco. Nele, 40 mulheres obesas de 20 a 40 anos seguiram, por 12 semanas, uma dieta com restrição calórica (menos consumo de carboidratos, mais ingestão de proteínas e fibras e semelhante consumo de gordura) e praticaram 50 minutos de caminhadas todos os dias. Metade delas ingeriu suplementos óleo de soja e as outras, de óleo de coco. Antes do início do estudo, as participantes apresentavam níveis de colesterol, índice de massa corporal (IMC) e medidas abdominais parecidas. Ao final da pesquisa, aquelas que consumiram óleo de coco apresentaram maiores níveis de HDL, o colesterol 'bom', e menores de LDL, o colesterol 'ruim', enquanto o outro grupo teve os dois tipos de colesterol aumentados. A redução do IMC foi observada nos dois grupos, embora somente o grupo do óleo de coco tenha reduzido a circunferência abdominal.

Os pesquisadores concluíram que dieta com suplemento de óleo de coco não aumenta os níveis de gordura no sangue e reduz medidas abdominais em obesos. Entretanto, eles também observaram que o suplemento pode induzir uma resistência à insulina. Os cientistas, no entanto, concluíram que outros estudos eram necessários para avaliar os efeitos do alimento a longo prazo.

Dietas da moda não funcionam para perder peso
Ilusão - Por causa de resultados controversos como esses, que indicam tanto benefícios quanto malefícios do óleo de coco, sem confirmar nenhum dado e estabelecendo a necessidade de novos estudos, os médicos acreditam que incluir óleo de coco na dieta como um suplemento alimentar não é seguro. "Nenhum estudo feito sobre óleo de coco tem qualidade que garanta segurança dos resultados, além de não ter sido publicado em revistas médicas de excelência", afirma Cíntia Cercato, endocrinologista da SBEM e do Hospital das Clínicas.

O endocrinologista Alfredo Halpern, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e autor do livro Pontos Para o Gordo, é mais taxativo. "O óleo de coco é uma grande enganação. É rico em gorduras saturadas, ou seja, em excesso faz mal, e não tem nenhuma dessas propriedades sobre as quais as pessoas vêm falando. É uma gordura como outra qualquer: pode ser consumida, mas também é capaz de engordar o indivíduo", afirma.
O óleo de coco não precisa ser exterminado. Ele pode substituir outras gorduras, como manteiga, óleo de girassol e azeite, na preparação de alimentos, desde que haja bom senso. "A gordura não é proibida. O ideal é que ela represente, no máximo, 30% do total de calorias que consumimos ao dia, dependendo do tamanho, do peso e do estilo de vida do indivíduo. As gorduras saturadas, porém, não devem ultrapassar 7%”, diz o endocrinologista da SBEM e chefe do grupo de obesidade do Hospital as Clínicas da Faculdade de Medicina da USP Márcio Mancini.

Mancini, porém, reafirma: para emagrecer, o óleo de coco é uma bobagem. "Quem compra essa ideia joga dinheiro fora, se ilude com um caminho fácil para a perda de peso e acaba se decepcionando."


Saiba mais
COLESTEROL
O colesterol é importante para o organismo para sintetizar vitaminas e hormônios, mas eles não circulam livremente pelo sangue. Para fazer isso, é preciso que se juntem às lipoproteínas, como a  HDL (sigla para high density lipoproteins, ou lipoproteínas de alta densidade) e a LDL (low density lipoprotein, lipoproteínas de baixa densidade). A HDL impede que a LDL forme placas de gordura nas artérias que dão origem à aterosclerose, diminuindo ou obstruindo o fluxo sanguíneo, provocando infartos ou derrames.

ÁCIDO GRAXOS
São as moléculas que compõem a gordura, que pode ser encontrada na natureza em formato sólido (gordura) ou líquido (óleos). São formados por cadeias de carbono, que se ligam a moléculas de hidrogênios. Quanto mais ligações na molécula, mais saturada é a gordura.

GORDURA SATURADA
Aumenta o LDL no organismo, que se deposita nas artérias e eleva o risco de problemas cardíacos. Pode ser encontrada em frituras, carne vermelha e em laticínios em geral.

GORDURA INSATURADA
Diferente das saturadas, ajuda a reduzir os triglicerídeos, um tipo de gordura que em alta concentração é prejudicial, e a pressão arterial. Pode ser monoinsaturada ou poli-insaturada. Essa última pode ser, por exemplo, Ômega 3 e 6, que são os chamados ácidos graxos essenciais e são as gorduras encontradas em peixes, linhaça, castanhas e azeite.

Clique Aqui e descubra outras dietas e alimentos da moda que não vingaram :(

Dietas da moda que não vingaram


Olá!

No mesmo ritmo do post anterior, que alerta sobre os equívocos de uma das dietas da moda: óleo de coco para emagrecer, segue abaixo uma lista de outras dietas e alimentos da moda que não vingaram.

Dieta do vinagre
O que promete: Como tem poucas calorias, não tem problema em ser consumido diariamente. Acredita-se que ingerir vinagre antes das refeições acelera o metabolismo, já que, supostamente, o ácido acético influi na termogênese.
O que realmente provoca no organismo: O vinagre, por ser muito ácido, pode provocar irritação na garganta e no estômago se consumido em excesso e, portanto, causando azia e dor de estômago.
Opinião do especialista: “Não tem nenhum sentido em achar que tomar vinagre antes das refeições ajuda a emagrecer e nenhuma evidência científica consistente mostrou isso. Essa dieta é uma bobagem”, afirma a endocrinologista Cíntica Cercato, membro da Regional de São Paulo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM-SP).

Dieta da noiva
O que promete: Durante dez dias, uma pessoa se alimenta exclusivamente por um tubo que contém uma mistura de água, proteína e gordura e pode chegar a perder dez quilos. A sonda vai do nariz ao estômago e o aparelho que bombeia a mistura deve ser levado com o indivíduo a todos os lugares. A pessoa consome, ao todo, 800 calorias ao dia com a mistura, que supostamente queima a gordura e mantem os músculos.
O que realmente provoca no organismo: Segundo Cíntia Cercato, a dieta leva ao emagrecimento a curto prazo por ser muito restritiva, mas não funciona a longo prazo já que não oferece uma reeducação alimentar. Além disso, não é balanceada e não fornece todas as vitaminas e minerais necessários em uma dieta, podendo causar problemas como fraqueza, constipação e queda de cabelo.
Opinião do especialista: “A dieta é fornecida por sonda, e só por isso já é inadequada, pois o indivíduo não usa uma função importante que é a mastigação. Segundo os defensores dessa dieta, ela é balanceada, mas sua mistura não vai conseguir suprir todas as necessidades por ser muito restritiva”, diz a médica Cíntia Cercato.

Óleo de canola
O que promete: Como o óleo de coco, é uma gordura que ganhou fama de ser emagrecedora. Vem da colza, um grão canadense. Acredita-se que gera energia, acelera o metabolismo e proporciona perda de peso, além de aumentar a saciedade.
O que realmente provoca no organismo: Como qualquer gordura, se consumida em excesso aumenta o ganho de peso. Mas provoca saciedade por ser rico em energia, o que não significa que queima mais energia no corpo.
Opinião do especialista: “Não há comprovação científica para dizer que o óleo emagrece. Como qualquer outra gordura, deve ser consumida segundo as recomendações diárias, ou seja, até 30% de todas as calorias consumidas em um dia”, diz Gláucia Carneiro, endocrinologista do ambulatório de obesidade da Universidade Federal de São Paulo e membro da Regional de São Paulo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM-SP).

Limão
O que promete: Ingerir limão pela manhã aumenta a saciedade durante o dia e, por aumentar a acidez no estômago, acelera o metabolismo, levando à rápida digestão e à perda de peso.
O que realmente provoca no organismo: Pode aumentar a saciedade e aumenta a acidez no estômago, mas isso não quer dizer que reduz o peso.
Opinião do especialista: De acordo com a endocrinologista Gláucia Carneiro, além de não emagrecer, o limão em excesso ou consumido em jejum pode provocar complicações como úlcera e gastrite.

Dieta de Hollywood (da papinha)
O que promete: Consumir exclusivamente cera de 14 potes de papinha para bebês ao dia emagrece, já que os alimentos vêm batidos e são de fácil digestão. Tem esse nome pois foi seguida por diversas estrelas de Hollywood, como a atriz Jennifer Aniston.
O que realmente provoca no organismo: Pode emagrecer pelas baixas calorias, mas não fornece a quantidade necessária de nutrientes para um adulto, já que a papinha é dedica a crianças, e as quantidades certas são diferentes. "Pode causar desnutrição, problemas de mastigação, já que não exige o movimento e não fortalece o músculo", diz a médica Gláucia Carneiro.

Fonte: Veja

terça-feira, 19 de junho de 2012

Decorando com prendedores de roupas


Oi gente!

Vi esta imagem circulando no face e não resisti. Achei uma ótima dica para postar no blog!

Sem necessidade de muita explicação... pois as imagens já dizem tudo =)

#ficaadica para criar uma decoração simples, barata e com um efeito visual super bacana ;)

Grande abraço!