Pages

Subscribe Twitter

terça-feira, 10 de julho de 2012

Destino correto do lixo

Olá!

Você sabia que dar o destino correto aos resíduos sólidos é Lei Federal (Lei n.12.305/2010)? E que, por isso, não devemos descartá-los no lixo comum?


Pois é... desde 2010, é contra a lei jogar diversos tipos de lixo sólido, no lixo comum. Porém, muitas pessoas nem sabem disso, outras nem sabem quais são estes resíduos e tem ainda muitas pessoas que sabem da lei, mas não sabem como descartar estes materiais de forma correta.


Eu mesma nunca tinha prestado muita atenção nesta questão, até que, a trabalho, tive que fazer um folder sobre o assunto e fiquei bem preocupada.


Os principais produtos que se encontram nessa lista e que fazem parte do nosso dia-a-dia são: os pneus inservíveis, as lâmpadas fluorescentes, computadores usados (eletrônicos em geral), pilhas e baterias.


Porém, bem mais importante do que saber quais são, é descobrir o que fazer com esses produtos depois que eles estragam e não atendem mais as nossas necessidades. Por isso, seguem abaixo algumas dicas:

Pneus inservíveis:
Você sabia que os pneus podem ser 100% reciclados e seus três componentes devolvidos para a cadeia produtiva, sem causar impacto ao meio ambiente?
Pois é... Atualmente, os pneus inservíveis que são coletados vão para trituração e podem ser reaproveitados de diversas formas, como combustível alternativo para indústrias de cimento ou para caldeiras, na fabricação de asfalto, solados de sapato, borrachas de vedação, dutos pluviais, pisos para  quadras poliesportivas, pisos industriais e tapetes para automóveis.
Quem recolhe: O setor de pneus é um bom exemplo, pois possui um grande know-how em coleta de produtos inservíveis, logística de transporte e destinação ambientalmente correta. As lojas especializadas na comercialização de pneus costumam receber pneus inservíveis e encaminhá-los para a reciclagem, mesmo que não tenham sido efetuadas compras na loja.

Computadores Usados:
Você sabia que 94% dos componentes dos computadores são recicláveis? 
Pois é! Apesar do Brasil ainda não ter quem recicle os microprocessadores dos PCs corretamente, existem empresas que desmontam os equipamentos e os vendem para as indústrias específicas (plásticos, metais, etc.). Além disso, se os equipamentos ainda puderem ser aproveitados, uma sugestão é doá-los para instituições de ensino que podem usá-los em aulas de montagem e manutenção de computadores - como o Senai - ou para instituições necessitadas, que podem reutlizá-los em aulas de informática, fazendo assim a inclusão digital. 
Quem recolhe: Na Grande Florianópolis, a Compuciclado é uma empresa que recebe computadores obsoletos, trabalha em parceria com ONGs que fazem inclusão digital e envia os microprocessadores para os EUA. Contato: (48) 3879-9077

Pilhas e baterias:
Você sabia que as pilhas e baterias  são compostas por metais maléficos à saúde do ser humano e nocivos ao meio ambiente, como o mercúrio, chumbo, cádmio, níquel e lítio?
Pois é! Por isso é tão importante dar o destino correto a estes materiais, jamais descartando-os no
lixo comum.
Quem recolhe: Em Santa Catarina, diversas redes de supermercados, shoppings e órgãos públicos fazem o recolhimento desses materiais e os encaminham para a reciclagem.

Lâmpadas Fluorescentes:
Você sabia que a quantidade de mercúrio em uma única lâmpada fluorescente comum é capaz de tornar não potável cerca de 20 mil litros de água?
A Lei de Resíduos Sólidos diz que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes devem recolher e dar um destino adequado às lâmpadas usadas. Mas como o assunto ainda está sendo discutido pelo setor, devido ao custo elevado da logística reversa, poucas empresas têm cumprido a determinação. Felizmente, algumas lojas que revendem o produto e respeitam o meio ambiente recebem as lâmpadas queimadas mesmo que não tenham sido compradas no estabelecimento.
Quem recolhe: Aqui na Grande Florianópolis, a Cassol Center Lar é uma dessas lojas. Já a Santa Rita, só recolhe se for apresentada a nota fiscal da lâmpada, para comprovar que ela foi comprada ali.

Óleo de cozinha:
Aproveitando a oportunidade (mesmo não sendo sólido), é sempre bom lembrar quanto a necessidade de dar uma destinação correta ao óleo de cozinha usado. Isso porque quando despejado na pia ou no ralo, além de danificar os encanamentos, o óleo pode ser extremamente prejudicial ao meio ambiente.


Nem mesmo o lixo doméstico é uma boa pedida. Então, o que fazer?


Primeiro, não descarte o óleo doméstico nos ralos e vasos sanitários. O acúmulo de gorduras nos encanamentos pode causar entupimentos, refluxo de esgoto e até rompimentos nas redes de coleta;
Segundo: Filtrar o óleo usado para fritar novamente não é aconselhável, devido ao alto índice de saturação da gordura, extremamente prejudicial à saúde;

Terceiro: Ao atingir o solo, o produto contribui para sua impermeabilização, dificultando a absorção da água de chuva e propiciando enchentes. Além disso, a decomposição do óleo de cozinha usado emite na atmosfera metano, um dos principais gases causadores do efeito estufa, responsável pelo aquecimento global. Por isso, não o jogue no lixo comum;

Finalmente, coloque o óleo usado frio em garrafas PET, deixe acumular e leve a um posto de coleta apropriado (supermercados e postos de gasolina);
Outra opção é usar o óleo para fazer sabão caseiro ou levar para alguém que saiba fazer. Algumas entidades pagam pelo óleo ou o trocam por detergente ou outra mercadoria. 

0 comentários:

Postar um comentário