Pages

Subscribe Twitter

sexta-feira, 16 de março de 2012

Carne Vermelha x Morte Prematura

Olá!

Ainda quero escrever um comentário mais elaborado sobre este assunto. Mas, para não deixar a notícia ficar velha, já estou compartilhando com vocês. Desde criança, como adventista do sétimo dia, sempre recebi orientações a respeito do uso moderado da carne, especialmente, a carne vermelha. Durante alguns anos da minha vida fui vegetariana. Porém, mesmo depois de voltar a comer carne, sempre soube da importância da necessidade do uso consciente deste alimento.

Lembro-me de muitas palestras proferidas na Igreja Adventista e em Cursos Bíblicos Interativos na Rádio Novo Tempo (AM 630 - Campo Grande/MS), em que médicos renomados, como o Dr. Hélnio Judson Nogueira e Alcione Balsanelli, reforçavam os conselhos da pioneira adventista Ellen G. White que, inspirada por Deus, já tratava desse assunto desde o início do século passado.

Uma das informações que ficou bem gravada em minha mente é que, segundo estudos mencionados pelos médicos, os benefícios da dieta semi-vegetariana  (com poucas porções de carne) são bem semelhantes aos da dieta ovo-lacto-vegetariana. Se não estou enganada, enquanto as pesquisas mostravam que a expectativa de vida dos ovo-lacto-vegetarianos aumentava em dez anos, a dos semi-vegetarianos aumentava em oito anos. Um ótimo negócio para quem não consegue viver sem carne.

Nessa semana, o resultado de um estudo conduzido por uma das universidades mais prestigiadas do mundo, veio confirmar (mais uma vez) tudo aquilo que tenho aprendido durante os meu 30 anos de existência e o que minha querida igreja vem pregando há mais de cem.

Fiquei muito feliz e, por isso, compartilho os conteúdos abaixo. Grande abraço e fiquem com Deus!

"Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus" (I Cor. 10:31)


Consumir carne vermelha aumenta em até 20% os riscos de morte prematura
Probabilidade é maior com o consumo de uma porção de carne processada ao dia


A carne vermelha não é saudável. Já se sabe. Mas pesquisadores não param de constatar argumentos contra ela. O mais recente é resultado de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira no periódico Archives of Internal Medicine. Segundo o estudo, conduzido na Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, o consumo de carne vermelha pode aumentar os riscos de morte prematura, além do aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer. Substituir esse alimento por outros, como por peixes e aves, significa diminuir a chance de morte prematura.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram dados de dois estudos sobre os hábitos alimentares de 37.698 homens e 83.644 mulheres durante 28 anos. Nesse período, foram registradas 23.926 mortes, sendo que 5.910 aconteceram devido a uma doença cardiovascular e 9.464, a algum tipo de câncer.

Os autores do estudo observaram que um maior consumo de carne vermelha foi associado ao aumento do risco de problemas cardiovasculares e casos de câncer. Embora essa chance tenha sido elevada para todos os tipos do alimento, ela foi maior em relação à carne vermelha processada. O mesmo foi identificado em relação a casos de morte prematura decorrentes de problemas de saúde em geral. Os resultados mostraram que comer uma porção de carne vermelha processada ao dia aumenta esse risco em 20%. Esse índice é de 13% para carne não processada.

Substituição saudável - A pesquisa também indicou que, além de comer menos carne vermelha, trocá-la por outros alimentos é capaz de diminuir as chances de morte prematura. Segundo o estudo, essa redução pode ocorrer com a substituição de uma porção de carne vermelha ao dia por uma porção de peixe, ave, frutas secas, legumes e de grãos. "Nós estimamos que 9,3% das mortes registradas no estudo entre os homens e 7,6% das mortes entre as mulheres poderiam ter sido evitadas se os participantes consumissem menos de meia porção de carne vermelha ao dia", afirma a pesquisa. Para os especialistas, comer menos carne vermelha significa reduzir as chances de doenças crônicas e, consequentemente, de mortalidade decorrente de problemas de saúde em geral.

Saiba mais

CARNE PROCESSADA
A carne processada é a carne misturada com sal, temperos artificiais e conservantes, como o nitrito de sódio, por exemplo. Esta substância é adicionada a alimentos para fixar cor neles, além de evitar que eles estraguem rapidamente. Presunto, salsicha, linguiça e salame são exemplos de carne vermelha processada. Tanto os conservantes quanto a própria carne processada já foram relacionados por outras pesquisas a diversos problemas de saúde, como com o câncer de pâncreas, por exemplo.
(Fonte: Veja)

Agora assista a reportagem veiculada no Jornal Nacional:

0 comentários:

Postar um comentário