Pages

Subscribe Twitter

domingo, 23 de janeiro de 2011

Fidelidade é igual a churrasco de chuchu

A manchete da Revista Alfa lhe chamou a atenção. Aliás, não tinha como ser diferente! Meu amado pensou de cara que seria mais um desses textos que esculacham a instituição do casamento e incentivam a traição (como fazem a maioria das revistas femininas que orientam as leitoras a nunca dar total segurança ao parceiro, numa espécie de Jogo da Conquista Eterno).

Porém, para surpresa dele, a colunista Joyce Moysés incentivou os homens (público da revista) a fazerem com que suas esposas fizessem parte do grupo das mulheres bem casadas.

Como?

Segue abaixo a receita:
Homem, "se você quer que a sua amada faça parte do grupo das mulheres bem casadas, e assim matar a torcida do seu time do coração e os engravatados com quem trabalha de invejinha e dor de cotovelo, saiba que uma das colas afetivas mais poderosas se chama ad-mi-ra-ção. Pondo a sugestão em águas cristalinas: seja um homem que alimenta admiração em sua mulher. Diariamente, sem folga nem nos feriados. Eu admiro o meu principalmente pela inteligência, por me escutar (e também me alertar quando banco a ingênua no dia a dia…), por trabalhar feito doido naquilo que adora e ainda assim cavar um(uns) tempinho(s) para nós. Sua mulher pode admirá-lo porque faz omeletes supercriativos, porque é um profissional prestigiado, porque é cheiroso e viajado, porque segura a onda dos filhos sem pôr toda a responsabilidade no colo dela…"

E o que tem a ver o churrasco de chuchu?

É o seguinte... apesar de viverem dizendo por aí que, "biologicamente falando, a monogamia contraria a natureza humana", é possível saborear um benfeito churrasco de chuchu, lambendo os dedos, repetir e viciar. "O bom é que faz bem ao coração e não engorda".

E o que tem a ver conosco, mulheres?

Bom... meu querido ficou tão empolgado em ler uma mensagem a favor do casamento em uma revista comercial que veio correndo me mostrar o artigo. Melhor do que isso, eu me identifiquei com o clube das bem casadas =)

Enfim... achei que seria legal postar o comentário aqui no Blog e indicar a leitura para os homens que, de vez em quando, acessam o nosso conteúdo (já que a linguagem é bem masculina) e para as amigas que estão sempre por aqui.

Talvez alguns achem que seria válido algum tipo de censura nos termos utilizados. Porém, irei disponibilizar o texto da revista, na íntegra, e cada um pode utilizá-lo da maneira que melhor lhe convir.

Pra terminar, mais um trecho do texto que tanto nos chamou a atenção. "Intimidade, cumplicidade, afeto trazem uma sensação de completude que não vale a pena dispensar"

Para ler o texto da Revista Alfa, na íntegra, clique aqui!

Abraço.

1 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Ellen, fico feliz que você tenha gostado do meu artigo. Escrevi o que sinto e vivo no meu relacionamento. Esse artigo é uma pílula do meu primeiro livro, que vou lançar no início de junho. Leia, comente e, se gostar, indique às suas seguidoras. Um abração Joyce Moysés jmoyses@ajato.com.br

Postar um comentário