Pages

Subscribe Twitter

domingo, 3 de outubro de 2010

O uso de sementes na luta contra o colesterol

Meses atrás, fui surpreendida pela notícia de que meu colesterol ruim havia ultrapassado o limite máximo ideal que é 200. Não queria acreditar. Pois, além de não ser "viciada" em carne, jamais como a gordura e nem gosto de leite de vaca (prefiro o leite de soja). Meu peso também estava compatível com a altura. Então, por que, afinal o meu colesterol ruim estava alto?

A médica me explicou que, além da ingestão da gordura animal, outras coisas podem intereferir no aumento do colesterol ruim, como: estresse e vida sedentária. Eu estava perfeitamente encaixada nesses dois casos. Então, o jeito era tirar o tênis do armário e tentar relaxar. Além disso, ainda existem alguns alimentos que podem ser usadas para controlar o colesterol ruim.

Na semana passada, assisti uma matéria bem interessante que falava justamente sobre como o consumo diário de sementes pode ajudar na redução do colesterol ruim e resolvi compartilhar com vocês.

Sempre soube do poder das castanhas. Porém, minha dúvida era quanto comer e qual a semente mais indicada para cada problema. Isso porque, se deixar, eu como um pacote inteiro de castanha de caju numa sentada e daí, pode até diminuir o colesterol, mas as calorias... dá até medo de contar. Hehehehe

Bom, a matéria começava mostrando o caso de um senhor que, com uma semente de castanha do Pará por dia conseguiu reduzir seu colesterol de 450 para níveis próximos a 200.

A receita do médico da Unicamp é baseada em pesquisas mundiais que comprovam a ação de sementes e castanhas no combate ao colesterol, já que algumas agem no organismo como um remédio.

Segundo o nutrólogo da Unicamp, Edson Credidio, as sementes agem assim:

  • As nozes são utilizadas para a prevenção de problemas cardiovasculares.
  • O pistache reduz o nível de colesterol.
  • A castanha do Pará tem o ômega 6 que também tem uma ação na redução do colesterol.
  • E a castanha de caju, além do alto teor protéico, também reduz o colesterol.
Porém, para obter o resultado medicinal é preciso disciplina. Os alimentos devem ser consumidos todos os dias, de forma controlada (não um pacote por dia como eu andava fazendo :S).

  • No caso das nozes para prevenção de doença cardiovascular, uma noz, que são duas tampinhas.
  • O pistache, 40 gramas, aproximadamente uma colher de sopa.
  • A castanha do Pará uma unidade por dia.
  • E a castanha de caju, duas a três unidades dia.

Para quem trabalha fora, outra orientação do nutrólogo é fazer um kit lanche anti-colesterol com frutas secas e castanhas. A sugestão que eles apresentaram tinha uma tâmara, um damasco, uma ameixa e uma noz inteira, que são as duas metades. O saquinho tem a porção na medida indicada. É fácil carregar e deve ser consumido entre as refeições. Um kit de manhã e outro à tarde.

Ou seja, ao invés de comprarmos aquelas barrinhas de cereais (que costumam ser bem carinhas), podemos começar a usar esse kit que, além de saudável, é extremante barato. E como a fruta seca não estraga, podemos deixar na bolsa, no porta luvas do carro ou na gaveta do trabalho.

Outra dica legal: Sementes podem complementar seu café da manhã
Coloque uma colher de sopa da mistura de quinua, amaranto, linhaça e gergelim, sobre o pão com queijo ou margarina. Ou, quem não gosta disso, outra opção é acrescentá-la ao iogurte.

OBS.: Os vídeos da Globo. Com ficam disponíveis apenas por algum tempo. Se tiver algum problema para visualização, será problema do servidor da Globo.

0 comentários:

Postar um comentário